3.8.05

A Lógica e a Verdade

incrível como no rídiculo palco Brasil das CPIs,
lógica e verdade são díspares, quando deveriam ser pares.

Enquanto o (suposto) corrupto e acossado, ataca com inverdades para morrer de pé e de frente as câmeras, o suposto (verdadeiro) e íntegro, vai tendo que se justificar e provar que não é o corrupto e arquiteto maior de um esquema de corrupção jamais escancarado na mídia de nosso país.

O circo avança, o presidente Lula cobra da imprensa que mude o foco, pois deve acreditar - e eu acredito - que quanto mais câmeras, mais blefes e lorotas vão surgindo intecionalmente para complicar ainda mais o desfecho final. Fica claro que vão soltando acusações falsas para estender o tempo para as conclusões e assistirmos a cassações, quebra de farsas, prisões, etc.

Em defesa da verdade e da lógica, imagino: Se há tanto dinheiro como noticiado e se a intenção era tornar lícita as ações de repasse desse dinheiro a partidos políticos para fecharem suas contas de campanhas, ou mesmo financiar um projeto de perpetuar um partido no poder, nada melhor que usar produções e veiculações de campanhas publicitárias que são caras e os superfaturamentos é prática comum, facilitando, portanto, toda essa lavagem imoral.

No mais os bancos envolvidos não tem uma história de beneces ou atitudes de filantropia nem no âmbito regional muito menos no âmbito nacional. Um deles, sempre que há um escândalo envolvendo grande somas com políticos nas negociações, está lá sendo noticiado, já faz anos e nada acontece, por que será?

O país está bem na economia. Não interessa a elite oposicionista, principalmente a de São Paulo. Interromper o sucesso do governo Lula tornou-se um objetivo maior. Vamos prestar atenção e lembrar de pessoas que transitam próximo ao Marcos Valério, por exemplo sr. Daniel Dantas do banco Oportunity, de velhos escândalos; trânsito em governos anteriores e sociedade com gente muito próxima de governos de estados, inclusive aqui nas gerais. Partidos que já fizeram compras de votos, privatizaram a nação a preço de bananas, enfim. Vamos ficar atentos, pois num país que todos roubam, ninguém rouba; país onde todos mentem, ninguém mente.

Vida que segue.

Um comentário:

Bota disse...

João, o assunto é PILANTROPIA pura, não há probos, mecenas, caridosos ou bondosos em um bando de "hienas". Elas são "hienas". Só sabem fazer isto: cercar, correr, caçar, matar, comer e dar risadas histéricas escondendo o verdadeiro medo de virarem caça amnhã...

Peço apenas perdão às hienas (animais inocentes) por ter comparado estes safados a elas.