27.11.05

Darcy "brasileiro" Ribeiro


- Foi em 1997 que perdemos Darcy Ribeiro; nosso querido educador visionário.
Já faz quase uma década e o país continua órfão de suas idéias e projetos educacionais.
Parado no tempo, o Brasil continua na espera não sabemos do que ou de quem, para apontar o caminho
que coloque nossas crianças dentro de uma construção educacional que vislumbre um futuro promissor.

No dia de sua morte escrevi:


Lá se foi o guerreiro estudar os céus,
a essência dos espíritos e espalhar sua inquietude
pagã pelo infinito.

Na Terra viveu de forma única:
Intelectualidade ímpar;
amou intensamente a raça brasileira
e sofreu com seu povo, com seus índios,
com seus mortos;
mortos e vivos, raça por inteira,
mistura singular, única, rica, bonita,
índia, cabocla, branca, negra, mulata...
eternizada em "Maíra", "O Mulo", " Utopia Selvagem", "Migo"...

Darcy antropólogo, indigenista, amigo, professor, político, diplomata...
Visionário-utopista e libertário-concretista;
falastrão, lúdico-poeta, Darcy, o elegante galanteador.
Amou intensamente as mulheres que pôde alcançar e as que não pôde.

Darcy sofreu com o revés político ao lado de Brizola,
mas realizou belos projetos, construiu escolas, fez história e plantou sementes.
Nos legou para que não nos percamos por nossas fracas memórias,
500 páginas sobre a formação e o sentido antropológico, das diversas raças
do Brasil, leitura obrigatória, sua última obra: "O POVO BRASILEIRO".

Vai guerreiro, aprontar pelos céus!
Por que por aqui, em sua amada Terra,
deixaste uma missão cumprida,
uma bela e fascinante história, um comprometimento de vida:
Darcy "brasileiro" Ribeiro.

1922/1997





14.11.05

A PAZ

" Se não encontrarmos a paz, metade da humanidade dormirá com fome e a outra metade não dormirá, com medo dos que têm fome" .


João Paulo II

8.11.05

Vinicius ( O Filme)

Vinicius - o filme de Marcelo Faria Jr.

Belo filme! ****
Um resgate da vida musical desse que certamente foi um
dos maiores poetas do Brasil.
O embaixador, galanteador, poeta e compositor Vinicius de Moraes.
Poeta das paixões, das belas canções, dos grandes parceiros musicais.

Uma bela narrativa, repleta de depoimentos verdadeiros
sobre o "poetinha", como ele era carinhosamente chamado.
Um poeta, que segundo Chico Buarque,
não teria espaço no mundo de agora.
Viveu sua vida de forma autêntica
e com muito amor e paixões, no tempo certo.
Deixou um exemplo para quem deseja amar intensamente,
pois sobre o amor eternizou:
" ... que não seja eterno, posto que é chama,
mas que seja inifinito enquanto dure" .

Um homem de conhecimentos e sensibilidade raros.
Embaixador do amor do seu tempo
que deixou uma obra generosamente
humana e repleta de paixão pelas mulheres, tantas,
que amou, respeitou e por todas foi respeitado;
respeitado também por todos os amigos, sobretudo,
pelo ser humano inteligente e divertido que soube viver intensamente a vida!

2.11.05

Centenária

BH 108 anos!

Em homenahem aos 100 anos de BH, na última década do século passado, escrevi:

O horizonte que sobre ti a vida estende,
independe das atitudes ou das razões dos homens e mulheres,
pois será eternamente belo!

Imponente, a serra sobre ti estende os braços
e permite que os teus devaneios aflorem,
as tuas realizações avancem
e se transformem em canções na alma do teu povo.
Teu mesmo povo que tanto te faz maior
e pouco zelo a ti dedica.

Mas, contigo sempre a esperança;
esta criança que embala o peito
e dar um jeito no sonho que não pode ficar velho.
Apostando no teu amanhã adulto do hoje moleque,
enche o coração da gente que acredita na mudança
e sabe do grande futuro aos teus sonhos reservados.

Cidade fêmea, cidade mulher...
Ter-te e conhecer-te nestes vinte anos de convivência,
foi ganho de amor, de inspiração e sabedoria.
Entre o provinciano e o moderno que te veste,
conquistei um pouco de paz e alegria.
Fiz de ti o meu espelho da paixão
e acredito que vivemos uma rica relação de amor e vida!