20.11.06

O Senhor das Armas ( o filme)

O Senhor das Armas *****,
(com Nicolas Cage, direção de Andrew Nikcol),

É simplesmente espetacular!
Um filme que narra com bastante lucidez as tramas
comerciais e políticas que permeiam este negócio extremamente
lucrativo e desumano; há décadas alimentado com as guerras
criadas pelas grandes potências para que permaneça ativo,
eliminando milhares e milhares de vidas inocentes em todo o mundo.

Algumas citações que nos impressiona:
..." você sabe quem vai herdar a terra?
Os vendedores de armas, porque o resto está ocupado
demais e se matando." - "Este é o segredo para sobreviver:
nunca ir para a guerra, sobretudo contra si mesmo".

"... Os maiores fornecedores de armas são:
EUA - REINO UNIDO - RUSSIA - FRANÇA E CHINA.
Estes países também são os cinco membros permanentes
do CONSELHO DE SEGURANÇA DA UNO-Organização das Nações Unidas..."

-É no mínimo estarrecedor.

13.11.06

Projetos x Propósitos

" ... Você será feliz apesar dos pesares" .
" O ego, nos tempos de agora,
é o maior desvio de comportamento do meio executivo
nas corporações e leva os profissionais a guardarem dinheiro,
porém suas vidas não são tão felizes.
- José Dinei (consultor de RH)
Diante dessas citações, podemos repensar
as nossas vidas profissionais.
Sejamos profissionais liberais ou pertecentes ao
meio profissional dentro das corporações.
Projeto de vida, segundo ele, difere verticalmente
de propósito de vida, no que eu definitivamente
concordo.
Para entendermos melhor a diferença, exemplifico:
uma pessoa que Projeta ser médico para ganhar dinheiro
e outra pessoa que tem o Propósito
de ser médico para ser feliz ajudando aos seus semelhantes
no que for possível para viverem com saúde.
Conclusão: O segundo será um profissional muito mais produtivo
e feliz, certamente.
Assim concluimos também que em todas as dimensões profissionais,
o trabalho não deve ser um sacrifício e sim uma atividade prazeirosa;
não apenas para ganhar dinheiro, deve ser sim, nossa contribuição diária
para melhorar permanetemente o meio social em que vivemos;
pois daí viveremos com menos stress, mais solidários e felizes.

É Certo que Virá a Noite Feliz!

É certo que virá o despertar da noite Feliz de todos!
em que os homens e as mulheres se reconhecerão no amor,
se abraçarão e esquecerão os deslizes,
as falhas, as faltas e o desconforto do confronto.

É certo que haverá de vir o entardecer tranquilo,
o contemplar feliz das estrêlas,
o acolhimento em paz, de pais e filhos,
na mansidão dos espíritos.

A alegria estendida na plenitude do amor,
certamente acontecerá;
como acontecem as grandes e esperadas noites
que iluminam as mentes e corações pela vida afora;
noites dos sonhos realizados e das verdades plenas;
das falas e dos abraços sinceros,
e projetos sonhados e realizados depois de longos sofrimentos.

Olhares ternos e afagos surgirão,
abrindo-se à janela do tempo novo;
tempo do ser verdadeiro,
que valorize a luz e que abomine a escuridão mesquinha;
tempo de esperança e trabalho,
quando o necessário não seja uma conquista tão sofrível,
em ambiente de tanto ódio, violência física e moral,
e de abomináveis ganâncias capitais
que só constróem a falsa felicidade de poucos
e convivem com a infinita massa de tantos doentes sociais.

6.11.06

Impermanências

Somos definitivamente, impermanentes!
Da vida somos cuidadores:
do amor, dos amigos, da família, dos sonhos, da natureza...
Vivemos e passamos, como o vento,
como as nuvens, os mares, os pássaros...

Tudo é finito.
Por isso temos que contemplar e alimentar diariamente
nossos verdadeiros sonhos.
Viver intessamente o amor em toda a sua dimensão;
e tê-lo como missão imperativa de vida.

Eliminar tristezas, aborrecimentos, inimizades...
Cultivar carinho, afetividade, respeito, justiça, honestidade...
Enfim, viver dignamente o tempo que nos foi permitido
na sua plena integridade.

Aí, lá na mais adiante... depois de tudo,
e de coração tranquilo, sentarmos no alto de uma montanha,
e contemplativos: olhar para cima, para baixo e para dentro,
aliviados exclamarmos: Viver é uma dávida de Deus!

3.11.06

DESIDERATA (Max Ehrmann)

Descobrir a verdadeira história sobre "Desiderata", poema lido e admirado em todo o mundo, para mim foi uma alegria. E foi por acaso numa pequena livraria de Shopping que encontrei a edição de bolso da editora Sextante com o título "Desiderata", comprei-o de imediato um exemplar.
"Desiderata" , desde os anos 50, ficou muitos anos com autoria obscurecida. O encanto do poema levou-o a ser bastante copiado e passado de mão em mão. Chegando a ser confundido sua data de origem com a fundação da igreja de Saint Paul de Baltmore, de 1692 – século XVII, e alimentada por seu pároco, o que lhe adicionava mais encanto.
Nos anos 60, o poema foi parar em São Francisco na época do movimento Hippie, que o adotou supondo ser uma declaração de paz e amor datada de séculos. As gráficas avidamente imprimiram e distribuíram milhões de cartazes e folhetos.
O seu autor Max Ehrmann, nasceu em 26 de setembro de 1872 na cidade de Terre Haute, Estado da Indiana nos Estados Unidos, um advogado que se transformou e viveu até seus últimos dias como filósofo e poeta. Quinto e último filho de imigrantes alemães Maximilian Ehrmann e Margaret Bárbara Lutz.

"...embora buscasse cada vez mais uma posição humanística, Ehrmann nunca perdeu seu respeito por “Jesus, o filósofo” ou a sua fé de que “ o universo está evoluindo como deveria”.

Formou-se na Universidade de DePauw, em Greencastle, Indiana, onde se tornou o redator da revista DePauw Weekly. Após sua graduação em 1894, Ehrmann ingressou na Faculdade de Filosofia da Universidade de Harvard, onde, por dois anos, se especializou em Direito e Filosofia, antes de retornar a Terre Haute, para levar a vida incerta de poeta e filósofo que sempre desejou. Embora tenha sobrevivido durante muitos anos como advogado, em 1912 aos 40 anos, Ehrmann abandonou o mundo dos negócios e se dedicou inteiramente à literatura, a única atividade que sempre achou verdadeiramente gratificante. Passou os últimos 33 anos de sua vida do jeito que sempre idealizou: Poeta e Filósofo.

Descrevia sua cidade Natal, Terre Haute como “ o mundo em miniatura”. Pois prezava as amizades e a tranquilidade que encontrava ali.

O poema "Desiderata", Ehrmann o criou aos 55 anos; segundo ele, o escreveu para si próprio. O poema o acompanhou, em seu bolso, durante muitos meses e lhe serviu de guia em sua incansável busca pela simplicidade, sinceridade e serenidade. Tal como tantas obras de Ehrmann, " Desiderata " surgiu de uma necessidade interior e foi compartilhado com outras pessoas que igualmente ansiavam por bem-estar e confiança.

Em dezembro de 1933, Ehrmann usou " Desiderata " como parte de uma saudação de Natal endereçada aos amigos. Este belo poema serviu também de estímulo aos generais durante a segunda grande guerra, aos psiquiatras no tratamento de seus pacientes. Um Médico Psiquiatra da época, Dr. Merril Moore, descreveu: ... “ele deveria ser engarrafado e vendido como remédio mágico do Dr. Ehrmann”.

Ehrmann faleceu em 9 de setembro de 1945, três meses depois de ser homenageado em Terre Haute, que prestou-lhe um tributo formal, reunindo músicos, professores universitários, artistas e amigos, que deram depoimentos sobre o seu trabalho e a sua vocação de fazer amizades.

Nos anos seguintes, porém a verdadeira autoria desse famoso poema foi resgatada, garantido a Max Ehrmann um lugar eterno na literatura americana. A seguir o poema na íntegra:


DESIDERATA (um caminho para a vida)

Vá placidamente por entre o barulho e a pressa
E lembre-se da paz que pode haver no silêncio.

Sem capitular, procure estar de bem com todas as pessoas
Fale a sua verdade, calma e claramente.
Escute os outros, mesmo os mais estúpidos, os hipócritas e desequilibrados.

Evite pessoas barulhentas e agressivas;
Elas são um tormento para o espírito e às boas relações.
Mas sobretudo, evite o preconceito.
E lembre-se: de tudo aquilo que mais preconceituamos,
trazemos em nós uma faceta latente, camuflada pela hipocrisia.

Desfrute suas conquistas assim como os seus planos.
Mantenha-se interessado em sua carreira.
Mesmo que humilde, é o que realmente se possui
Na sorte incerta dos tempos.

Exercite cautela nos negócios, porque o mundo é cheio de artifícios.
Mas não deixe que isso o torne cego à virtude que existe.
Muitas pessoas lutam incansavelmente por altos ideais,
Mas muitas vezes esquecem a beleza imensa dos seus quintais,
Perdem-se em heroismos vazios e morrem amargas.

Jamais finja afeição, nem seja cínico sobre o amor,
Porque em face de toda a aridez e desencantamento,
Ele é perene como a grama.
Aceite gentilmente o conselho dos anos,
Renunciando com benevolência às coisas da juventude.

Cultive a força do espírito
Para proteger-se num infortúnio inesperado.
Mas não se desgaste com temores imaginários.
É certo que muitos medos nascem da fadiga e da solidão.

Acima de uma benéfica disciplina, seja bondoso consigo mesmo.
Você é filho do universo, não menos nem mais que as estrêlas,
As árvores, os mares, as montanhas...
E quer seja claro ou não para você,
Sem dúvida o universo se desenrola como deveria.

Portanto busque incansavelmente a paz com Deus, com a vida!
E sejam quais forem suas aspirações na barulhenta modernidade,
Mantenha-se em equilíbrio;
Ao menos tente o exercício da compaixão em seu convívio diário.
Apesar de todos os enganos, sonhos desfeitos, decepções e desconfianças,
Este ainda é um mundo maravilhoso!

Esteja atento e perserverante pois a felicidade é um composto de nossos sentimentos,
de nossas verdades e de nossas ações todos os dias em que despertamos.



Max Ehrmann
1927 –Terre Haute - Indiana – USA.