31.5.12

Brandura



Façamos uma nova leitura
Vamos com brandura compreender a virtude
Não nos deixemos abater por um viés qualquer
Caminhemos serenos sob a luz do sol dos justos

Procuremos pelos corações maduros
Sejamos testemunhas do amor solidário
Do sonho maior de futuro
Que nas sábias escrituras o Pai nos ensinou.

J. Carvalho



30.5.12

Ilusão


Me incomoda a falsa estética,
Me incomoda a quebra da ética e da moral,
Me tira do normal o conteúdo falso
Urgente é um cadafalso aos atores da mentira e da corrupção!

Não desejo meu país mergulhado nesse pântano
Sustentável economia, mas com ônus absurdos e ântros
Que afanam a saúde, o transporte e a educação
Não quero isso, não desejo isso não!


J. Carvalho



29.5.12

Minha Poesia



Versifico intensamente a vida
A minha poesia, diversifico, este é o meu lugar
Ela me liga aos corações
Revigora os sentidos,  e  minh`alma canta

Alimento com meus versos as sensibilidades
Peço em troca a sua alegria
Celebro a canção que voce adora
Escrevo a história do amor possível.

J.Carvalho. 





22.5.12

CDA-Carlos Drumond de Andrade



Olhai as montanhas mineiros.
Como a serra do Curral, mutilada
Vós que não as defendeis

Olhai-as enquanto vivem pois,

A golpes de tratores vão sendo assassinadas,
Pela culpa única de suas entranhas de ferro.
Mineiros, por que não percebeis
Que essa ferrugem que vos empoeira os olhos,
Essa terra, vermelha, é nosso sangue,
Injustamente derramado, na luta que vos abate? 



21.5.12

Mesmo que...



Mesmo que ainda não encontremos a resposta
Mesmo que ainda não conquistemos todo o amor
Mesmo assim, valerá a pena caminhar
Valerá a pena sonhar até onde possamos resistir.

Mesmo que o sofrimento de nossos irmãos nos pertube
Mesmo que o terror, a corrupção e a violência,  nos atormentem
Vamos juntos, caminhemos, valerá a pena persistir
Valerá a pena dedicar o nosso tempo 
Nossas forças,  até conseguirmos o melhor construir.

J.Carvalho


8.5.12

(Sangrando) - Último Raio de Sol Daquele Abril





Sangrando eu a vi saindo de mim

como seiva viva a escorrer de um veio


A convidei a uma última resenha

sobre o que juntos construímos até ali


Mas deu de ombros sorriu e sumiu

de braços dados com o último raio de sol daquele abril.



J.Carvalho





























7.5.12

Pesadelo





Qual partido será o meu, e o teu, agora?

Partido dos desvalidos, dos desrespeitados?
Partido dos homens, das mulheres 
coorompidos e adulterados;
Partido dos injustiçados, infiéis, talvez ?

Partido dos maltrapilhos, ou será  dos desdentados, dos sem teto,
que lutam no desejo alucinado da sobrevivência digna de um cidadão?
Ou será o partido dos que partiram cabisbaixos, sem cara,
sem jeito, sem glória, envergonhados..., sem contar a verdadeira história,
sem prestar as contas aos seus credores: o povo brasileiro?

Ou será o partido, da mentira, partido da farsa,
que bebe do mesmo vinho, na mesma taça, na perversa farra,
na calada das noites palacianas que trama uma nebulosa alvorada?

E o escândalo avança, dança na mentira dos hipócritas,
segue mundo afora no cólo da mídia impiedosa;
rápida, que divulga sem muitas vezes checar as fontes devidas,
e sem respeitar faces ou horizontes, na balada de promotores afoitos,
imediatos, a serviço de quem?

Que partido formaremos ou pediremos agora?
Ou não pediremos partido algum? Afinal partido...?!
Recolheremos as nossas súplicas e numa atitude abrupta,
abraçaremos o nosso sonho e de novo  o pé na estrada.

E quando tudo isso passar e é certo que passará,
despertaremos em um novo dia qualquer,
faremos nossa oração preferida e celebraremos a vida,
beijando nossos filhos, irmãos, amores... 
e seguiremos afoitos

Recriaremos a nossa bandeira, com as cores verdadeiras
 do que no ontem sonhamos e mais conscientes e veteranos,
não mais choraremos as dores desse  mais um, terrível pesadelo brasileiro.

Qual partido será o meu e o teu agora?

J. Carvaho

LES MISÉRABLES







Foto Les Miserables

Les Miserables (2000) in 6 Minutes
 

" OS MISERÁVEIS" - ( O Filme )
 

Baseado no brilhante romance de Victor Hugo sobre redenção e revolução.


O personagem Jean Valdjean (Liam Neeson), um cruel condenado que é transformado por um simples ato de piedade, nos emociona e nos passa uma verdade: Como é necessário em qualquer tempo, sermos generosos, humildes, misericordiosos e sobretudo corajosos, para evoluirmos como seres humanos.
Uma obra atual, necessária de ser vista e revista a todos nós que estamos mergulhados em momentos terríveis de descrétido com relação a atitude humana do poder, seja em que país esteja o homem.
E para nós trabalhadores da Comunicação Social, indico também a leitura do Livro " A Comunicação do Grotesco" do mesmo autor. Victor Hugo é sempre atual, pois o modelo social e político aos quais estamos submetidos, insiste em seus erros primários há séculos, apesar de todos os avanços tecnológicos e de todas as conquistas.

- O ser humano ainda não conseguiu fazer a viagem mais profunda para conquistar a plena lucidez, tão necessária para aperfeiçoar definitivamente suas atitudes diante da vida.

4.5.12

Resgate





Estende a mão
Diz que deseja caminhar comigo
Me conforta,  me dá o seu abrigo
Permita que eu seja o seu protetor

Resgata-me num momento de amor
Vem, descobre o meu coração
Confia nesse peito amigo
Que te deseja de paixão

J.Carvalho

2.5.12

OURO PRETO: O QUE MAIS DIZER DE TI ?!





O que mais dizer de ti
querida Ouro Preto, Vila Rica...
pulsação de memórias

O que mais  extrair de ti
do teu chão de pedra, do teu coração de história
da tua eterna alma inconfidente

O que mais curtir na descência
  em tuas noites gloriosas
folgosas noites e frias madrugadas

Amores em verso e prosa
sob a sublime lua enamorada
 que sobre ti se deita majestosa


J. Carvalho



A um passarinho



Para que vieste
Na minha janela
Meter o nariz?
Se foi por um verso
Não sou mais poeta
Ando tão feliz!
Se é para uma prosa
Não sou Anchieta
Nem venho de Assis
Deixe-te de histórias
Some-te daqui.


Vinicius de Morais