28.12.16

SINCERAMENTE 2017!




Que horizonte esperamos em  2017?

Sinceramente, espero o horizonte da fraternidade, da generosidade, do amor ao próximo, da amizade entre cada um e todos os povos;

Sinceramente, espero o horizonte do menos ódio, menos intolerância de gênero, raça, credo...

Sinceramente, espero o horizonte do respeito aos mais velhos, ensinamentos dos limites aos mais jovens;

Sinceramente, espero ver mais nutrientes aos deprovidos, mais palavras de compreensão, gestos de conforto e  acolhimento;

Sinceramente, espero o horizonte da elevação do caráter e das atitudes dos homens públicos em todos os níveis e em todas as nações;

Sinceramente, espero uma mídia mais profissional e isenta; uma justiça clara, serena e que os homens se respeitem e elevem o desejo da verdade, da partilha do bem e do amor sobre a terra.

Sinceramente!


J. Carvalho

Velho Cego, Choravas..


Velho cego, choravas quando a tua vida 
era boa, e tinhas em teus olhos o sol: 
mas se tens já o silêncio, o que é que tu esperas, 
o que é que esperas, cego, que esperas da dor? 

No teu canto pareces um menino que nascera 
sem pés para a terra e sem olhos para o mar 
como os das bestas que por dentro da noite cega 
- sem dia ou crepúsculo - se cansam de esperar. 

Porque se conheces o caminho que leva 
em dois ou três minutos até à vida nova, 
velho cego, que esperas, que podes esperar? 

Se pela mais torpe amargura do destino, 
animal velho e cego, não sabes o caminho, 
eu que tenho dois olhos to posso ensinar. 

Pablo Neruda, in "Crepusculário" 
Tradução de Rui Lage 

27.12.16

BILHETE






Se tu me amas, 
ama-me baixinho
não o grites de cima dos telhados
deixa em paz os passarinhos
deixa em paz a mim!
se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, 
amada, 
que a vida é breve 
e o amor mais breve ainda...

Mário Quintana




15.12.16

MEU CORAÇÃO...



Meu coração está no escuro
não ausência de luz
não ausência de sol
não ausência de lua e estrelas...
Meu coração está no escuro
no meio do breu de perspectiva
no meio das trevas de justiça
no meio da escuridão de futuro

Meu Coração anda meio que sem ritmo
capenga nos compassos
arrebentado nos muros da intolerância
arrebentado nas vias da injustiça, da estupidez...

Meu coração está no escuro
Meu coração sangra descompensado
mas não morto, se debaterá até o fim
pois meu país espera por ele, 
meu país espera por mim.


J. Carvalho

13.12.16

AINDA QUE...





Ainda que falássemos todas as línguas
dos anjos e dos humanos
Ainda que conhecêssemos todos os paraísos da Terra

Ainda que desfrutássemos dos melhores vinhos e mesas
Ainda que visitássemos todas as cidades,
Todos os castelos, museus, monumentos...
Ainda que realizássemos todos os nossos sonhos
Ainda que tívéssemos as famílias harmoniosas e quase perfeitas...

Se não tivermos a grandeza do amor,
a mansidão da gratidão, do afeto,
a generosidade do respeito ao outro e à natureza,
sobretudo, se não soubermos alcançar a maturidade
na humildade, na sabedoria,
com compaixão e justiça,
nada deteremos de maior valia,
nada viveremos da plena alegria
da felicidade e da realização.

J. Carvalho