24.2.17

ONDE VOCE ESTAVA QUANDO TUDO ACABOU?


Eu por aqui nos campos e serrados das Gerais sob as bençãos do Pai. E você por onde andavas? Você que só faz a leitura sublinhando apenas o que afirmo e bate direto no underground politico do presente e do passado dos desgovernos que nos atropelam e maltratam e ainda advogam alegando defesa da democracia?...

Ora, o nosso país nunca teve grandes administrações por escassez claras de homens probos na administração pública, raros diria, sempre com arranjos maculosos para usurpar o bem maior dos recursos da nação, sejam naturais e/ou financeiro, após 20 anos de uma perversa Ditadura. Teve sim administradores cuja presidência caíram nos seus colos e outros derivados disso, exemplo de SARNEY, ITAMAR FRANCO e FHC que foi seu Ministro da Fazenda, todos frágeis, mas que resolveram graves crises politicas e econômicas...

Veio a era LULA, que nos deu a impressão que iriamos ao JARDIM do EDEN, puro engano decolou num voo célere e aterrisou no limbo igual ou pior a outros anteriores. Se mostrou frágil e se deixou contaminar com o A MOSCA AZUL DO PODER, e com o LODO que vc conhece bem. Pior foi doar todos os seus créditos políticos, seu maior erro reconhecido até por seu grande amigo e conselheiro FREI BETO que muito admiro; Leia o artigo "NÓS ERRAMOS" um pequeno trecho: "Fomos contaminados pela direita. Aceitamos a adulação de seus empresários; usufruímos de suas mordomias; fizemos do poder um trampolim para a ascensão social. Trocamos um projeto de Brasil por um projeto de poder. Ganhar eleições se tornou mais importante que promover mudanças através da mobilização dos movimentos sociais. Iludidos, acatamos uma concepção burguesa de Estado, como se ele não pudesse ser uma ferramenta em mãos das forças populares, e merecesse sempre ser aparelhado pela elite. Agora chegou a fatura dos erros cometidos. Nas ruas do país, a reação ao golpe não teve força para evitá-lo".

- Acreditar que O PT poderia entregar a administração de um país complexo pra neófita política Dilma Rousseff sem preparo, sem jogo de cintura, sem ter passado ao menos pela experiência de ter sido eleita vereadora de algum município deste imenso e complexo país, para pegar algum traquejo que exije o jogo perverso da política. Entregou-lhe a faixa o Criador, conseguiu se arrastar por 3 anos e meio já na metade do último já não respirava, mas ainda metade do leitorado apostou na força Política do Lula, mesmo sabendo do Mensalão e de fatos de odores peçonhentos que ainda virão porai na Lavajato sob a sua assinatura e da senhora Dilma;

Ela assumiu o segundo mandato e foi o desastre que todos nós estamos amargando por equivocos da imaturidade politica e da irresponsabilidade de seu criador e do seu partido que nem mesmo comungava com ela, entenderam que poderiam governar dando as costas para o congresso e chamando para arena os velhos ratos PMDBistas que os derrubaram e que chegaria em 2018 pra passar o bastão ao criador. Taí a obra para horror de todos nós brasileiros, não adianta apenas comparar se a gang das denúncias que tanto evidencia o SERGIO MACHADO delator, o Cearense forte do PMDB e diretor da TRANSPETRO, o homem das mansões sobre as Dunas no paraíso de Fortaleza que diz saber de tudo e gravava os "amigos" nas reuniões da grande trama nacional já presentindo que precisaria amenizar sua pena com delações premiadas que não tardaria; já contou tudo na Lavajato. A exemplo desse vem BUMLAI, JBS, OAS, ODEBRECHT, mais atrás tem DUDA MENDONÇA, Tem DANIEL DANTAS, e suas tramas até hoje mal contadas nas grandes negociatas sob a batuta do seu banco OPORTUNITTY e outros que muitos afirmam quem foram seus beneficiarios dos grandes volumes nas trasações com as Teles,enfim, todos tramando e trabalhando contra todos nós.

Um dia nos revelarão os grandes segredos desse redomoinho insano que nos devora e apavora a todos, nos apequenando e ridicularizando, sejamos ricos ou pobres, sonhadores ou céticos, esquerda, centro ou direita, devoram-nos a todos!

Frei Beto - Uma vez afirmou em palestra não me lembro bem, ou se em postagens de amigos no face que nos ensinou o seguinte: "Nossa geração lutou tanto por liberdade, dignidade, contra uma ditadura cruel, que quando chegamos lá, em 2003, imaginamos que essas conquistas viriam dentro do nosso tempo histórico.

Eduardo Machado: " Hoje sei que não vou fazer parte da colheita, mas não abro mão de morrer semente...".


J.Carvalho

10.2.17

Congresso Internacional do Medo




Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.

Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços,
não cantaremos o ódio, porque este não existe,

existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro,
o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos,

o medo dos soldados, o medo das mães, o medo das igrejas,
cantaremos o medo dos ditadores, o medo dos democratas,

cantaremos o medo da morte e o medo de depois da morte.
Depois morreremos de medo

e sobre nossos túmulos nascerão flores amarelas e medrosas

Carlos Drumond de Andrade

7.2.17

A FORÇA TRANSFORMADORA 

Houve uma reunião em uma marcenaria, onde as ferramentas se juntaram para acertar suas diferenças. O martelo estava exercendo a presidência, mas os participantes o notificaram que teria que renunciar. A causa? Fazia barulho demais e além disso passava o tempo todo golpeando.

O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, dizendo que ele dava muitas voltas para conseguir algo. Diante do ataque o parafuso concordou, mas por sua vez pediu a expulsão da lixa. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atritos.

A lixa acatou, com a condição de que se expulsasse o metro, que sempre media os outros segundo a sua medida, como se fosse o único perfeito. Nesse momento entrou o marceneiro, juntou todos e iniciou o seu trabalho.

Utilizou o martelo, a lixa, o metro e o parafuso. Finalmente, a rústica madeira se converteu em um fino móvel. Quando a marcenaria ficou novamente sem ninguém, a assembleia recomeçou a discussão. Foi então que o serrote tomou a palavra e disse:

- Senhores, ficou demonstrado que temos defeitos, mas o marceneiro trabalha com nossas qualidades, ressaltando nossos pontos valiosos. Assim, não pensemos em nossos pontos fracos e concentremo-nos em nossos pontos fortes.

Então a assembleia entendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limpar e afinar asperezas e o metro era preciso e exato. Então se sentiram como uma equipe capaz de produzir belos móveis da mais alta qualidade e uma grande alegria tomou conta de todos pela oportunidade de trabalhar juntos.

O mesmo ocorre com os seres humanos. Basta observar. Quando uma pessoa busca defeitos em outra, a situação fica tensa e negativa. Ao contrário, quando se buscam com sinceridade os pontos fortes dos outros, florescem as melhores conquistas humanas. É fácil encontrar defeitos, qualquer um pode fazê-lo. Mas encontrar qualidades, isso é para os sábios!

J.Carvalho