28.7.17

Onde Voce Estava Quando o Mundo Ruiu?

Eu por aqui pelas Gerais sob as bençãos do Pai. E você por onde andavas? Você que só faz a leitura sublinhando apenas o que afirmo e bate direto no underground politico do presente e do passado dos desgovernos que nos atropelam e maltratam e ainda advogam alegando defesa da democracia. Ora, o nosso país nunca teve brilhantes gestões por escassez de homens probos na administração pública, raros diria, sempre com arranjos maculosos para usurpar o bem maior dos recursos da nação, sejam bens de qualquer origem, naturais e/ou financeiros. Após 20 anos de uma perversa Ditadura, teve sim administradores cuja presidência caíram nos seus colos e outros derivados disso, exemplo de José SARNEY, ITAMAR Franco e FHC-Fernando Henrique Cardoso que foi seu Ministro da Fazenda, todos frágeis, mas este último resolveu graves crises politicas e econômicas...
Veio a era LULA, que nos deu a impressão que iríamos aos Jardins do EDEN, puro engano, decolou num voo célere e aterrissou no limbo igual ou pior a outros anteriores. Se mostrou frágil e se deixou contaminar pela Mosca Azul e com o Lodo que voce conhece bem. Pior foi doar todos os seus créditos políticos, seu maior erro reconhecido até por seu grande amigo e conselheiro Frei Beto que muito admiro; Leia o artigo "NÓS ERRAMOS", veja um pequeno trecho: "Fomos contaminados pela direita. Aceitamos a adulação de seus empresários; usufruímos de suas mordomias; fizemos do poder um trampolim para a ascensão social. Trocamos um projeto de Brasil por um projeto de poder. Ganhar eleições se tornou mais importante que promover mudanças através da mobilização dos movimentos sociais. Iludidos, acatamos uma concepção burguesa de Estado, como se ele não pudesse ser uma ferramenta em mãos das forças populares, e merecesse sempre ser aparelhado pela elite. Agora chegou a fatura dos erros cometidos. Nas ruas do país, a reação ao golpe não teve força para evitá-lo".
- Acreditar que O PT poderia entregar a administração de um país complexo pra neófita política Dilma Rousseff sem preparo, sem jogo de cintura, sem ter passado ao menos pela experiência de ter sido eleita vereadora de algum município deste imenso e complexo país, para pegar algum traquejo que exije o jogo perverso da política. Entregou-lhe a faixa o Criador, conseguiu se arrastar por 3 anos e meio já na metade do último já não respirava, mas ainda metade do leitorado apostou na força Política do Lula, mesmo sabendo do Mensalão e de fatos de odores peçonhentos que ainda viriam a baila com a Lavajato sob a sua assinatura e da "criatura" Dilma; elegeram a neófita para um segundo mandato.
Ela assumiu e foi o desastre que todos nós ainda amargamos em 2017 e chegará a 2018; por equivocos da imaturidade politica e da irresponsabilidade de seu criador e do seu partido que nem mesmo comungava com ela, entenderam que poderiam governar dando as costas para o congresso e chamando para arena os velhos grupos de ratos velhacos do PMDB que os derrubaram e que mesmo assim poderiam chegar em 2018 pra passar o bastão ao "criador". Taí a obra para horror de todos nós brasileiros, não adianta apenas comparar se a gang das denúncias que tanto evidencia o SERGIO MACHADO delator, o Cearense forte do PMDB e ex-diretor da TRANSPETRO, em prisão domiciliar nas mansões sobre as Dunas no paraíso de Fortaleza que diz saber de toda a grande trama do "Golpe" e que tudo gravava dos "amigos" nas reuniões sigilosas para este fim já presentindo que precisaria amenizar sua pena com delações premiadas que não tardaria; já contou tudo aos juizes e promotores na Lavajato. A exemplo desse vem BUMLAI, os irmãos da JBS, OAS, ODEBRECHT, Sérgio Cabral no Rio de Janeiro... enfim; mais atrás tem DUDA MENDONÇA, tem DANIEL DANTAS e suas tramas até hoje mal contadas nas grandes negociatas sob a batuta do seu banco OPORTUNITTY e outros que muitos afirmam quem foram seus beneficiarios dos grandes volumes nas trasações com as Teles... todos tramando e trabalhando contra o bem e a paz da nação brasileira.
Um dia nos revelarão os grandes segredos desse redomoinho insano que nos devora e apavora a todos, nos apequenando e nos ridicularizando, sejamos ricos ou pobres, sonhadores ou céticos, esquerda, centro ou direita, devoram-nos a todos!
Frei Beto - certa vez afirmou em palestra, não me lembro bem, ou se em postagens de amigos no face que nos ensinou o seguinte: "Nossa geração lutou tanto por liberdade, dignidade, contra uma ditadura cruel, que quando chegamos lá, em 2003, imaginamos que essas conquistas viriam dentro do nosso tempo histórico; " hoje sei que não vou fazer parte da colheita, mas não abro mão de morrer semente..."
J.Carvalho

Dieta por CDA




- Carlos Drummond de Andrade, no livro “Poesia errante”. Rio de Janeiro: Record, 1988
.

22.7.17

Verve Quintaniana

Despertei sob a verve
Quintaniana,
não me irritarei
por mais que me fizer
coração alheio
farei disso sutilmente
o meio recreio

J.Carvalho


18.7.17

Verve Pessoniana

Hoje despertei sob a verve
Pessoaniana
só que não mentirei completamente
nem fingirei nenhuma dor
direi tudo desbragadamente
o que devia
e até o que não.

J.Carvalho




AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.
Fernando Pessoa

Verve Drumondiana

Hoje acordei
sob a verve
Drumondiana
só que chutei
todas as pedras
que vi pelo caminho.

J.Carvalho


No Meio do Caminho



No meio do caminho tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
Tinha uma pedra
No meio do caminho tinha uma pedra

Nunca me esquecerei desse acontecimento
Na vida de minhas retinas tão fatigadas
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
Tinha uma pedra
Tinha uma pedra no meio do caminho
No meio do caminho tinha uma pedra


Carlos Drumond de Andrade



14.7.17

Espero




Espero
não me apresso
guardo o zelo à paciência

Espero na ciência ao apreço
ao tempo que nos pedes
pois há a leveza no acontecimento

Espero
não desespero e canto no meu silêncio
a canção do amor que há tempos pra ti guardei

Pois sempre acontece o tempo certo
como nas notas de um conserto harmônico de vida
que por dias e anos preparei

J.Carvalho 

11.7.17

Súplica





E se tiveres hoje
que pedir ao PAI
peça respeito aos direitos
Peça amor
e sobretudo peça
o gozo da paz!

J.Carvalho

10.7.17

OURO PRETO 306 Anos



07/07/2017 / - 306 Anos de Ouro Preto.

Ouro Preto
O que mais dizer de ti
O que mais viver na tua história
No teu coração de memória inconfidente

Passagens incongruentes
Convergentes noites gloriosas
Desejos em segredos consequentes
Sob a lua que te abraça majestosa

J.Carvalho

5.7.17

Angústias e Boleros



Navego em silhuetas azuis
levezas de ondas do amor 
a fuga atroz de um lugar
enquanto espero
angústia  viva,
sombras e boleros

Navego por oceanos distantes
sinto fundamentais os sentimentos
preparo âncoras de beijos
em inesquecíveis momentos

acomodam-se paixões
que nos arrebatam a cada instante
semblantes de vida em resgates
em flashs felizes, sorrisos e orações
há sinais de alegria que permanecem
ícones de amores que em si restabelecem.


J. Carvalho









3.7.17

Ai quem Me Dera







Ai, quem me dera terminasse a espera
Retornasse o canto simples e sem fim
E ouvindo o canto se chorasse tanto
Que do mundo o pranto se estancasse enfim
Ai, quem me dera ver morrrer a fera
Ver nascer o anjo, ver brotar a flor
Ai, quem me dera uma manhã feliz
Ai, quem me dera uma estação de amor
Ah, se as pessoas se tornassem boas
E cantassem loas e tivessem paz
E pelas ruas se abraçassem nuas
E duas a duas fossem casais
Ai, quem me dera ao som de madrigais
Ver todo mundo para sempre afim
E a liberdade nunca ser demais
E não haver mais solidão ruim
Ai, quem me dera ouvir o nunca-mais
Dizer que a vida vai ser sempre assim
E, finda a espera, ouvir na primavera
Alguém chamar por mim

Vinícius de Morais